Destaque

08/10/2018

PronaSolos inicia nova etapa com visitas às propriedades

O Projeto pronasolos Paraná iniciou uma nova etapa de execução. No dia 5 (sexta-feira) técnicos envolvidos no projeto foram capacitados em Toledo, e a partir desta segunda-feira (8) começa a fase efetiva de levantamento de dados. O projeto integra o Programa Nacional de Solos no Brasil (pronasolos).

Essas visitas vão ocorrer nas propriedades rurais que se encontram na Bacia Hidrográfica Paraná III, inicialmente em áreas próximas aos municípios de Cascavel, Toledo e Ouro Verde. A duração do projeto neste primeiro módulo é de dois anos.

A informação é da coordenadora executiva do Prosolo Paraná, engenheira agrícola Débora Grimm, que orienta sobre a receptividade e acolhida do agricultor, em sua propriedade, para os técnicos do programa.

A coleta de material (solo e vegetação) será feita por pesquisadores da Embrapa Florestas, que é a entidade que vai conduzir o programa no Paraná, além de pesquisadores do Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) e técnicos contratados.

Com a coleta de material, será constituída uma base de dados integrada de informações necessárias à atualização de mapas, relatórios e perfis e também para interpretação de potencialidades e limitações do uso agrícola, como aptidão agrícola, zoneamentos, diversos, etc, aumentando o nível de conhecimento dos solos paranaenses e das condições das florestas ciliares.

Segundo Débora Grimm, essas informações serão determinantes para apresentação dos trabalhos com nível de detalhe e escalas compatíveis com as necessidades de planejamento de uso da terra no meio rural, bem como para orientação e definição de políticas públicas, proporcionando sinergia na busca do objetivo de preservação do solo e da água no Paraná.

O pesquisador da Embrapa Florestas e coordenador estadual do projeto, Gustavo Curcio, lembra que os técnicos estarão identificados com veículos do pronasolos Paraná e vão coletar amostras de solo e vegetação, além de realizar observações de campo.

O PROGRAMA - O pronasolos tem por objetivo adequar uma estrutura de pesquisa em solos para aumentar o nível de conhecimento dos solos brasileiros. Vai possibilitar sua governança por parte do poder público, valorizando o manejo sustentável dos recursos naturais, com destaque para o solo, e possibilitando ao País um desenvolvimento agropecuário ordenado e de longo prazo.

No Paraná, o pronasolos está sendo executado numa parceria entre a Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento, a Embrapa Florestas, a Itaipu Binacional, secretarias de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Planejamento e Coordenação Geral, Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), Instituto Ambiental do Paraná (Iap) e Instituto de Terras, Cartografia e Geociencia (ITCG).

Segundo Grimm, as informações de solos e vegetação vão possibilitar atualizar os mapas existentes, melhorando sua escala.

Atualmente, para a citada Bacia Hidrográfica, os mapas de solos encontram-se em escala 1:250 mil. A intenção é aumentar as escalas para, respectivamente, 1:50 mil e 1:10 mil. Com essa visualização, mais ampla, será possível planejar melhor a propriedade rural, inclusive propor medidas mais adequadas para a conservação e o manejo de solos e de vegetação.

Com o levantamento da vegetação, será possível definir quais as melhores espécies vegetais que devem ser plantadas para formação de Áreas de Preservação Permanente (APP) e para o plantio de matas ciliares. “A partir de informações mais detalhadas, os viveiros municipais vão saber que tipo de muda de vegetação devem produzir em suas regiões”, afirmou Débora Grimm.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.