Destaque

08/10/2020

Nova campanha de levantamento de solos e vegetação protetiva de rios do PronaSolos-PR: 19 a 30 de outubro de 2020

Gustavo Ribas Curcio1; Annete Bonnet1, Dalila Peres de Oliveira2, Leonardo Miranda Feriani2

 

 

Nova campanha de campo de levantamento de solos e de vegetação protetiva de rios e nascentes está prevista entre as datas de 19 a 30 de outubro de 2020 e será a primeira a ser executada desde março de 2020, quando as pesquisas de campo do PronaSolos-PR foram suspensas devido à pandemia do covid-19. As próximas ações de campo darão continuidade ao mapeamento de solos e vegetação que vem sendo feita na BHP III desde o final de 2018 (Figura 1).

Figura 1 - Pontos de coleta pedossequencial de amostra e observação de solos

As pesquisas ocorrerão nos subplanaltos Foz do Iguaçu e São Francisco, envolvendo oito municípios da Bacia Hidrográfica Paraná III: Itaipulândia, Missal, Diamante do Oeste, Ramilândia, Medianeira, Matelândia, Céu Azul e Vera Cruz do Oeste (Figura 2).

Figura 2 – Bacia Hidrográfica Paraná III: Base cartográfica continua do Brasil ao milionésimo e municípios do oeste paranaense.

A campanha envolverá a presença de 7 pesquisadores das áreas de solos, vegetação e geoprocessamento e resultará em ações de mapeamento de solos e vegetação e respectivas coleta de solos e material botânico. A área a ser mapeada corresponderá às cartas E2 e E3, as quais correspondem a uma área em torno de 1400 km2 (Figura 1).

Para essa campanha está prevista o mapeamento de solos da área supracitada por intermédio de mais 28 pedossequências observacionais (elementos geológicos, geomorfológicos e características de solos – granulométricas e morfológicas), subtotalizando a execução de 112 pontos de referência. Além disto, está previsto o mapeamento e coleta de solos (horizontes superficiais e subsuperficiais) em mais 12 pedossequências, subtotalizando 48 pontos de referência. Complementarmente, para a mesma área ainda serão feitos em torno de 15 a 20 pontos de observações extras, totalizando em torno de 176 pontos de referência.

A mencionada densidade de pontos de referência conota a marca de 1 ponto a cada 8 km2, fato condizente à escala de mapeamento que está sendo feito pelo PronaSolos-PR – 1:50.000.

No que se refere ao levantamento de vegetação protetiva de rios e nascentes serão feitos mais 12 pontos de amostragens de material botânico, sendo 6 em planícies fluviais e 6 em nascentes (final de rampas côncavas-convergentes). Vale citar que além da caracterização da vegetação e respectivos estádios sucessionais, ainda é feita a coleta de material botânico para identificação das espécies arbóreas e epifíticas dentro das parcelas de pesquisa. Também são identificados os tipos de solos, suas características morfológicas e, especialmente, seus regimes hídricos para que se possa subsidiar indicativos de plantios futuros nas florestas fluviais.

A equipe do PronaSolos-PR, mais uma vez, conta com a compreensão dos produtores rurais, permitindo a entrada das equipes em suas propriedades.

 

 

1 – Pesquisador da Embrapa Florestas – gustavo.curcio@embrapa.br

1 – Pesquisadora da Embrapa Florestas – annete.bonnet@embrapa.br

2 – Bolsista da Sec. Ciên. Tec. Pr – dalilap_oliveira@outlook.com

2 – Bolsista da Sec. Ciên. Tec. Pr – leonardo.feriani@hotmail.com

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.